Design de Resíduos – 21ª Oficina [06/06/11]

Com nossos miolos furados e a após os testes de funcionamento destes com as espirais de PET, começamos a fabricação em linha das espirais. Foi contabilizado que serão necessárias cerca de 80 garrafas para gerar todas as encadernações, assim todos do grupo se mobilizaram para fabricá-las. O processo toma um bom tempo e posterior à transformação da PET em espiral, a enrola-se numa haste a qual receberá água em ebulição para a termo-moldar no formato final. Essa dica veio do Alejandro Sarmiento, porém ainda estamos tentando fabricar ou comprar a ferramenta que ele usa: uma faca de corte específica. Ela não é cara ou tão difícil de ser produzida, porém estamos com dificuldade de localizar onde isso pode ser feito. A Professora Adriana está empenhada em encontrar este detalhe que nos fará ganhar muito tempo.

Espirais de PET, para encadernar os blocos de anotação

Nossa nova maquineta de facas especiais / Professora Adriana Tonani resolvendo problemas técnicos

Professora Juliana Pontes trabalhando no acabamento de uma das capas

A nova aluna do EJA nos prestou uma visita para conhecer o projeto, seu interesse é de participar no próximo semestre

A Diretora da Escola Pedro Aleixo, Raquel, aproveitou para verificar como as coisas andam por aqui

A oficina não para

Nova proposta de acabamento para a capa papelão + baixo relevo + tetrapack

Nova forma de encadernação por amarras

O importante é incorporar a anatomia do resíduo à função do produto, assim se otimiza tanto a qualidade quanto a quantidade de material reutilizado

No outro lado é colado uma folha de resíduo de cartão craft, que receberá acabamentos como faca especial…

…ou aplique das contras-formas de outras facas já feitas. Dessa maneira se aproveita tudo

Postado em: 7 de junho de 2011
Voltar ao topo